Embaixadores de 54 países africanos na ONU exigem desculpa de Trump

Washington, 12 jan (EFE).- Os embaixadores de 54 países africanos na ONU exigiram do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, uma desculpa pelos comentários "racistas" que expressou na quinta-feira, quando supostamente usou a expressão "buracos de merda" para referir-se a Haiti, El Salvador e vários países africanos.

Os diplomatas se reuniram nesta sexta-feira de urgência durante quatro horas e, após o encontro, emitiram um comunicado em que asseguraram se sentir "extremadamente consternados" pelas palavras de Trump.

Eles condenaram os comentários "escandalosos, racistas e xenófobos" do presidente americano e asseguraram se sentir "preocupados com a contínua e crescente tendência dentro do Governo dos EUA em relação à África e aos afrodescendentes, denegrindo o continente e as pessoas de cor".

Dessa forma, o grupo expressou sua "solidariedade" com o povo haitiano e com os outros países os quais Trump atacou durante uma reunião com legisladores na Casa Branca.

Segundo uma informação publicada ema quinta-feira por "The Washington Post" e confirmada depois pelo "Los Angeles Times", Trump disse na quinta-feira durante essa reunião que preferiria receber nos Estados Unidos mais imigrantes da Noruega em vez de cidadãos de El Salvador, Haiti e vários países africanos.

Trump negou hoje em várias mensagens do Twitter ter usado essa expressão, ainda que tenha admitido que a linguagem que usou foi "dura".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos