Governo afegão e talibãs se reúnem na Turquia para abrir negociação de paz

Cabul, 14 jan (EFE).- Membros do governo do Afeganistão, do Alto Conselho de Paz e de facções dos talibãs estão negociando informalmente na Turquia com o objetivo de iniciar um processo formal de paz no país.

A reunião, que começou no sábado e ainda não terminou, segundo várias fontes ouvidas pela Agência Efe, conta também com a presença do antigo grupo insurgente e hoje partido político Hezb-e-Islami.

O porta-voz do Alto Conselho para a Paz no Afeganistão, Ismail Qasimyar, não quis dar mais detalhes sobre os representantes que estão na reunião. A única presença confirmada por ele foi a de Homayoun Jarir, conselheiro do presidente do país, Ashraf Ghani.

Qasimyar também não revelou as identidades dos membros dos talibãs que estão dialogando no encontro.

"A reunião ocorreu após contatos prévios entre diferentes partes e deveríamos agradecer ao governo turco por aceitar sediar o encontro", indicou o porta-voz do Alto Conselho para a Paz.

No entanto, Qasimyar explicou que nenhuma decisão será tomada hoje. A reunião é apenas para preparar um futuro diálogo.

Nadir Afghan, um porta-voz do HIA, também confirmou à Efe que dois membros do grupo político participaram da reunião.

"Damos boas-vindas ao diálogo que está acontecendo na Turquia entre o governo e os talibãs. Eles estão trocando pontos de vista e isso é um passo para a paz", disse Afghan.

No entanto, a principal facção dos talibãs negou ter concordado com qualquer diálogo com o governo do Afeganistão.

"As informações sobre a participação dos representantes do Emirado Islâmico (como o talibã se autodenomina) nas conversas de paz não são verdade. Não mandamos nenhum representante. Os participantes não nos representam", disse o porta-voz dos talibãs, Zabihullah Mujahid, em comunicado enviado à Efe.

Os talibãs e o governo do Afeganistão realizaram apenas uma rodada de negociação de paz em 2015. O processo foi encerrado depois de Ghani ter informado que o líder e fundador do grupo insurgente, mulá Omar, estava morto há dois anos.

Os rebeldes suspenderam o diálogo e o anúncio do governo, confirmado pelos talibãs, gerou uma ruptura interna que levou várias facções a entrarem em confronto.

Nos últimos meses, diferentes rumores sobre contatos entre o governo e os talibãs em países do Oriente Médio foram divulgados, mas não houve confirmação oficial.

O principal grupo talibã, liderado pelo mulá Hibatullah, sempre descartou qualquer negociação com o governo de Ghani.

O Alto Conselho de Paz foi criado em 2010 pelo então presidente do país, Hamid Karzai, por recomendação do parlamento. Ele é formado por líderes políticos, religiosos e da sociedade civil. Um dos objetivos do órgão é dialogar com os talibãs.

Os talibãs aproveitaram o fim da missão da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no país em janeiro de 2015 para ganhar territórios no Afeganistão. Os cerca de 13 mil homens da Otan que seguem no país atuam na assistência e capacitação das tropas locais.

Atualmente, o governo do Afeganistão controla 57% do território do país. Os talibãs detém outros 11%. As demais regiões estão em disputa entre o Executivo e os insurgentes.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos