Japão pede mais pressão internacional para forçar Coreia do Norte a dialogar

Sófia, 14 jan (EFE).- O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, pediu neste domingo que a comunidade internacional aumente a pressão sobre a Coreia do Norte para forçar esse país a negociar e frear seu programa de armas nucleares.

"Para forçar a Coreia do Norte a mudar sua política, a comunidade internacional deve alcançar um acordo total e exercer a máxima pressão sobre a Coreia do Norte. Assim, será Pyongyang quem terá que oferecer diálogo", declarou Abe após reunir-se em Sófia com o presidente da Bulgária, Rumen Radev, segundo informou a agência "Focus".

Abe acrescentou que seu país não cederá às ameaças da Coreia do Norte e fará todo o possível, com o apoio da Europa e da Bulgária, que preside a União Europeia neste semestre, para resolver a ameaça dos testes de armas atômicas e mísseis de Pyongyang.

"A Coreia do Norte deve demonstrar um comportamento em conformidade com os compromissos assumidos de destruir seu arsenal nuclear e de mísseis, de maneira que garanta sua liquidação total, possivelmente com controle externo sobre este processo", detalhou Abe.

O premiê japonês, acompanhado por representantes de 30 empresas do seu país, realiza uma excursão pela Europa que inclui Estônia, Lituânia, Letônia, Bulgária, Sérvia e Romênia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos