Rajoy diz que é inviável Puigemont ser presidente da Catalunha a distância

Madri, 15 jan (EFE).- O chefe do Executivo espanhol, Mariano Rajoy, avisou nesta segunda-feira que o líder independentista catalão Carles Puigdemont não poder formar governo na "impossível" hipótese de ser eleito presidente regional da Catalunha a distância, pois se encontra na Bélgica foragido da Justiça espanhola.

Se Puigdemont chegar a ser designado pelo Parlamento catalão nessas circunstâncias, deverá tomar posse e isso requer fazê-lo fisicamente, explicou Rajoy, ou seja, presencialmente, e teria que retornar à Espanha.

"Se não o fizer, o artigo 155 (da Constituição espanhola) continuará em vigor", avisou o chefe de governo, segundo decidiu o Senado espanhol para frear o processo independentista catalão.

Esse artigo permite ao Governo espanhol, com prévia autorização do Senado, assumir diretamente as funções desempenhadas pelas autoridades de qualquer região quando estas descumprirem as obrigações impostas pela Constituição e outras leis.

Na Junta Diretiva Nacional do seu partido, o conservador PP, Rajoy apelou "ao realismo e ao senso comum" diante a pretensão de Puigdemont de ser empossado estando fora da Espanha, e garantiu que o Governo entrará com um recurso imediatamente no Tribunal Constitucional caso isso aconteça.

Para Rajoy, é "absurdo" Puigdemont pretender ser candidato a presidente da Catalunha estando em Bruxelas "e foragido da Justiça", alegando que a situação não é um problema de leis, mas sim uma questão "de puro bom senso".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos