Trump acusa senador democrata de arruinar negociações de acordo migratório

Washington, 15 jan (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, acusou nesta segunda-feira o senador democrata Dick Durbin, líder negociador do acordo migratório, de "arruinar" as negociações por tê-lo acusado de chamar países emissores de imigrantes como El Salvador e Haiti de "buracos de merda".

"O senador Dicky Durbin distorceu totalmente o que foi dito na reunião sobre o Ação DACA (Diferida para os Chegados na Infância)", escreveu Trump em sua conta no Twitter, modificando o nome do legislador para "dicky", que em inglês significa "fraco".

"Os acordos não podem ser feitos se não houver confiança! Durbin arruinou o DACA e está ferindo nossos militares", acrescentou o presidente americano, após a polêmica suscitada nesta semana por suas supostas declarações naquele encontro.

Trump deu como perdido o acordo migratório elaborado durante meses por um grupo bipartidário formado por três senadores democratas - um deles Durbin - e três republicanos, que conseguiram um princípio de acordo para uma lei que facilite a cidadania a mais de um milhão de jovens que agora correm risco deportação e que cresceram nos EUA, conhecidos como "sonhadores".

Uma das disposições da proposta legislativa contempla também a eliminação da loteria de vistos, que agora distribui 50 mil permissões ao ano, para transformar a metade deles em vistos para os afetados pelo fim do Status de Proteção Temporária (TPS).

Segundo o jornal "The Washington Post", quando explicaram a Trump esta postura, o presidente reagiu dizendo: "Por que temos todas estas pessoas de países (que são um) buraco de merda vindo aqui?", em referência a El Salvador, Haiti e países africanos.

A acusação dessas duras declarações colocou em xeque as negociações migratórias, inclusive quando os democratas tinham concordado em colaborar com o financiamento para a construção do muro fronteiriço com o México tão demandado pelo presidente, e cumpriam com suas exigências de aumentar fundos para segurança fronteiriça.

Após mais de quatro meses de diálogo entre democratas e republicanos, o tempo está se esgotando para os mais de 800 mil jovens que se beneficiaram do programa de DACA, impulsionado pelo ex-presidente Barack Obama e cuja vigência acaba em março por ordens de Trump.

Não obstante, o governo americano se viu obrigado a retomar a renovação das solicitações do DACA por ordem judicial e, no último fim de semana, os Serviços de Cidadania e Imigração dos EUA (USCIS, na sigla em inglês), anunciaram a aceitação de solicitações para aqueles que já tivessem gozado dos seus benefícios anteriormente.

Durbin está há quase duas décadas tentando impulsionar uma lei que abra o caminho à cidadania para esse jovens, sem sucesso.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos