Nigéria liberta 244 detidos do Boko Haram que renunciaram à violência

Abuja, 16 ene (EFE).- As autoridades nigerianas libertaram 244 membros e familiares do grupo jihadista Boko Haram arrependidos que renunciaram à violência, informou nesta terça-feira a imprensa local.

Os libertados, 118 homens, 56 mulheres, 19 adolescentes e 51 crianças, saíram de prisão ontem em Maiduguri, a capital da província de Borno (noroeste), zona de maior atividade e influência do grupo terrorista.

As autoridades militares autorizaram a libertação depois que os detidos mostraram arrependimento e se submeteram a um processo para garantir que não voltariam a representar perigo para a sociedade, explicou o comissário Rogers Nicholas ao jornal "The Vanguard".

"Os detidos foram desradicalizados e poderão se reintegrar à sociedade. Vamos entregá-los a entregar às autoridades locais de Borno", apontou.

O Boko Haram, que significa em línguas locais "A educação não islâmica é pecado", luta para impor um Estado islâmico na Nigéria, país de maioria muçulmana no norte e predominantemente cristão no sul.

Os ataques do grupo jihadista no nordeste da Nigéria deixaram mais de 20 mil mortos e causaram o deslocamento de 1,9 milhão de pessoas, segundo as Nações Unidas.

A ofensiva militar contra o grupo terrorista conseguiu minimizar em grande medida os ataques, e graças ao apoio de países vizinhos como Camarões, Níger, Chade e Benim foi possível retirar os jihadistas de grande parte dos territórios que tinham ocupado.

Apesar dos avanços, o Boko Haram continua causando grandes danos com atentados suicidas surpresa perpetrados, sobretudo, por menores de idade que atacam alvos vulneráveis como mercados, escolas e lugares de culto.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos