Xi e Trump conversam por telefone sobre Coreia do Norte e relação comercial

(Atualiza com novos dados sobre a conversa e declarações do porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da China).

Pequim, 16 jan (EFE).- Os presidentes da China e dos Estados Unidos, Xi Jinping e Donald Trump, conversaram nesta terça-feira por telefone sobre os progressos diplomáticos na Península Coreana e sobre as diferenças bilaterais em questões comerciais, informou a imprensa oficial do país asiático.

Na conversa, os dois dirigentes trocaram pontos de vista sobre a recente melhora na situação diplomática na Península Coreana e se comprometeram a fortalecer a cooperação e a comunicação neste tema.

O presidente chinês insistiu que todas as partes devem unir esforços para aproveitar estes avanços e criar as condições para retomar as negociações diplomáticas.

Para Xi, é vital que a comunidade internacional se mantenha unida para proceder com a desnuclearização da Península Coreana e a manutenção da paz e da estabilidade regional segundo os interesses de todas as partes.

Trump, por sua vez, destacou o importante papel da China para solucionar a crise norte-coreana e garantiu que está disposto a aumentar a comunicação e a coordenação com Pequim sobre esta questão.

Sobre as relações bilaterais entre China e EUA, Xi destacou que a cooperação econômica e comercial entre as duas potências trouxe benefícios concretos para ambas as partes, por isso os dois países deveriam utilizar métodos construtivos para solucionar suas diferenças neste campo através da maior abertura de seus mercados.

Xi também pediu a continuidade do desenvolvimento das relações entre China e Estados Unidos e que aconteçam melhorias, por exemplo, na cooperação militar e no controle do tráfico de drogas.

Na opinião do líder chinês, as duas partes devem encontrar um meio-termo, respeitar-se mutuamente e tratar os temas delicados de maneira construtiva.

Já Trump manifestou sua vontade de cooperar com a China na gestão adequada da relação econômica e comercial, segundo a versão oferecida por vários veículos oficiais da imprensa chinesa.

A conversa aconteceu em um momento de redução da tensão entre as duas Coreias e depois que, nas últimas semanas, vieram à tona nos EUA contínuas informações e vazamentos de que o governo de Trump poderia endurecer sua política comercial em relação à China.

O superávit comercial da China com os Estados Unidos cresceu 13% em 2017, o primeiro ano da presidência de Donald Trump, até alcançar 1,87 trilhão de iuanes (US$ 288 bilhões), segundo dados oficiais divulgados na última sexta-feira em Pequim.

"As duas partes devem adotar uma via construtiva para aumentar o volume de sua cooperação e solucionar de forma adequada as diferenças bilaterais em economia e comércio", disse o porta-voz chefe do Ministério das Relações Exteriores chinês, Lu Kang, em uma coletiva de imprensa.

Lu considerou "bastante natural" o fato de as duas maiores economias do mundo terem algumas diferenças comerciais, mas ressaltou que "a chave é a forma como administram essas diferenças" de modo que "não afetam o conjunto da relação econômica e comercial".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos