Paquistão acusa Índia de mais de 110 violações do cessar-fogo este ano

Islamabad, 18 jan (EFE).- O Paquistão acusou nesta quinta-feira a Índia de violar o cessar-fogo na fronteira entre ambos os países neste ano mais de 110 vezes em incidentes nos quais morreram três civis, dois deles nas últimas horas.

"Em 2018, as forças indianas cometeram mais de 110 violações do cessar-fogo na Linha de Controle (LoC, fronteira de fato na Caxemira) e na fronteira internacional, com o resultado de três civis mortos e dez feridos", indicou o Ministério de Exteriores paquistanês em comunicado.

"O ataque deliberado contra áreas povoadas por civis é deplorável e contrário à dignidade humana e às leis internacionais de direitos humanos", segundo Exteriores, que acrescentou que estes atos são uma ameaça para a paz e a segurança regional.

O ministério afirmou que as forças de segurança indianas começaram ontem à noite a atacar com tiros e morteiros de forma indiscriminada e sem provocações a zona de Sialkot, o que provocou a morte de duas pessoas e feriu cinco.

Há três dias, o Exército paquistanês acusou a Índia de matar quatro soldados na LoC, onde também três soldados indianos foram mortos na resposta do Paquistão.

Segundo Islamabad, a Índia violou o cessar-fogo mais de 1.900 vezes em 2017, matando 52 civis, o maior número desde o acordo de 2003 para pôr fim à troca de tiros em zonas de fronteira.

Por sua vez, em outubro a Índia acusou o Paquistão de violar a trégua em 503 ocasiões esse ano.

Os dois países disputam a região da Caxemira desde a divisão do subcontinente com a retirada do Império britânico, em 1947, e travaram por ela duas guerras e vários conflitos menores.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos