China tomará "medidas necessárias" após detectar presença de navio americano

Xangai (China), 20 jan (EFE).- A China anunciou neste sábado que tomará as "medidas necessárias" para salvaguardar a soberania do país depois que um navio de guerra americano ingressou sem permissão em águas que rodeiam o Recife de Scarborough, no Mar da China Meridional.

Segundo assegurou em uma coletiva de imprensa o porta-voz do Ministério de Exteriores, Lu Kang, na quarta-feira passada durante a noite o USS Hopper, um destroyer de mísseis guiados, navegou dentro das 12 milhas náuticas da ilha chinesa sem permissão do Governo.

A marinha chinesa fez então um processo de identificação e advertência para expulsar o navio de guerra de seu território já que, precisou, tem soberania indiscutível sobre o Recife de Scarborough e suas águas adjacentes.

"Pedimos encarecidamente aos Estados Unidos que retifique seu erro imediatamente e pare com este tipo de provocação para não danificar as relações entre ambos países e a paz e estabilidade regionais", disse o porta-voz.

Ainda que a China, acrescentou, "respeita e salvaguarda a liberdade de navegação e sobrevoo" neste território, "conforme o direito internacional", se opõe a qualquer tentativa de um país de menosprezar sua soberania e seus interesses "em nome da liberdade de navegação e sobrevoo".

Na opinião de Lu, o navio de guerra causou uma "grave ameaça" aos navios e aos chineses que trabalham na área e com este comportamento o país norte-americano rompeu "os protocolos básicos das relações internacionais".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos