Dois pescadores indonésios reféns do Abu Sayyaf na Filipinas são libertados

Jacarta, 20 jan (EFE).- O Governo da Indonésia confirmou neste sábado a liberdade de dois pescadores que foram sequestrados separadamente em águas malaias em novembro de 2016 pela organização jihadista filipina Abu Sayyaf, leal ao grupo terrorista Estado Islâmico (EI).

"Ambos serão repatriados à Indonésia uma vez se recuperem e obtenham a autorização para partir" por parte do escritório de Imigração das Filipinas, disse o Ministério de Relações Exteriores indonésio em um comunicado.

Os pescadores, identificados como La Utu bin Raali e La Hadi bin La Adi, recuperaram a liberdade na sexta-feira na ilha de Sulu, situada no sul da Filipinas.

O Ministério de Relações Exteriores indicou que ambos serão transferidos à cidade de Zamboanga, cerca de 150 quilômetros ao nordeste de Sulu, onde são esperados pela representação diplomática indonésia na região.

Os pescadores foram capturados em diferentes embarcações em águas do estado malaio de Sabah, no nordeste da ilha de Bornéu, em 5 de novembro de 2016.

O Abu Sayyaf protagonizou numerosos sequestros nos últimos anos e em alguns casos decapitou os reféns quando não foram cumpridas as suas exigências monetárias, como ocorreu com os pescadores vietnamitas Hoang Thong e Hoang Va Hai no ano passado.

Vários combatentes da guerra do Afeganistão contra a União Soviética fundaram o Abu Sayyaf na ilha de Basilan, ao nordeste de Jolo, em 1991 e o grupo se destacou desde o princípio pela sua violência e os sequestros com os quais se financia para conquistar um califado independente.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos