Papa diz que Peru sofre com outras "tempestades", como violência e desemprego

Trujillo (Peru), 20 jan (EFE).- O papa Francisco celebrou neste sábado uma grande missa para cerca de 200 mil pessoas em Trujillo, cidade no litoral do Peru que foi gravemente atingida pelas inundações causadas pelo fenômeno El Niño Costeiro no ano passado, na qual lembrou as outras "tempestades" com as quais os peruanos sofrem, como a violência, a falta de emprego e de moradias seguras.

Em seu segundo dia de visita ao país sul-americano, o pontífice se deslocou até a praia de Huanchaco, uma das principais atrações turísticas do Peru, para celebrar sua primeira missa no país.

Diante de mais de 200 mil pessoas, Francisco lembrou que os moradores desses lugares "conhecem a fúria da natureza e experimentaram sua violência", como o El Niño Costeiro no ano passado, que devastou Trujillo, deixando 160 mortos e mais de 300 mil atingidos.

Em seguida, o papa advertiu que há outras "tempestades" que representam ameaças à sociedade nesta região e que têm efeitos "devastadores", como a "violência organizada" e a "insegurança".

Outras "tempestades" mencionadas por Francisco foram "a falta de oportunidades de educação e trabalho, especialmente entre os mais jovens, o que lhes impede de construir um futuro com dignidade", e "a falta de um teto seguro para tantas famílias, que são forçadas a viver em áreas de alta instabilidade e sem acessos seguros".

Para Francisco, a solução para sair dessas "tempestades" e seguir em frente se chama "Jesus Cristo".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos