Papa visita bairro mais atingido por inundações em Trujillo, no Peru

Trujillo (Peru), 20 jan (EFE).- O papa Francisco percorreu neste sábado, por cerca de 20 minutos, o bairro de Buenos Aires em Trujillo, um dos mais afetados pelas inundações e deslizamentos de terra causados pelo El Niño Costeiro no ano passado, após celebrar uma missa para mais de 200 mil pessoas na praia de Huanchaco, nessa mesma cidade, que fica cerca de 570 quilômetros de Lima, a capital do Peru.

Ao concluir a missa em Huanchaco, Francisco cumprimentou o presidente peruano, Pedro Pablo Kuczynski, que estava presente na celebração religiosa, e deu um rosário de presente à sua esposa, Nancy Lange.

A missa terminou com música festiva, e o pontífice se dirigiu pelas ruas de Trujillo rumo ao bairro de Buenos Aires.

O arcebispo de Trujillo, Miguel Cabrejos, explicou antes da visita que o papa tinha escolhido Buenos Aires "como centro e símbolo deste encontro" com as vítimas da tragédia climática.

A visita começou com algumas crianças do bairro, que entregaram flores ao pontífice, e este aproveitou a ocasião para mostrar toda sua simpatia ao experimentar um típico gorro peruano que lhe foi dado de presente.

Depois, Francisco subiu ao papamóvel para um percurso de mais de 20 minutos em uma avenida totalmente cercada e repleta de gente.

O que o papa pôde ver foi um dos bairros mais pobres de Trujillo, mas enfeitado com cartazes de boas-vindas e balões com as cores brancas e amarelas da bandeira do Vaticano.

Francisco, no entanto, não pôde ver os verdadeiros estragos causados pelas terríveis inundações e deslizamentos de terra que afetaram 3 mil pessoas neste bairro de 30 mil habitantes e destruíram 500 casas.

Em suas ruas estreitas, Francisco circulou entre os muros sempre de pé, sem deixar de cumprimentar e abençoar a população.

O pontífice argentino visitou o bairro depois de lembrar, durante a missa na praia de Huanchaco, que as "consequências dolorosas (da tragédia climática) ainda estão presentes em muitas famílias, especialmente naquelas que ainda não puderam reconstruir seus lares".

Francisco considerou que, "em um momento de escuridão, quando sentiu os efeitos do El Niño, o povo peruano não ficou parado e se ajudou, como verdadeiros irmãos".

O papa destacou a "solidariedade e a generosidade" daqueles que ajudaram, que "no meio da escuridão, junto a tantos outros, foram círios vivos que iluminaram o caminho com os braços abertos e disponíveis para diminuir a dor e compartilhar o pouco que tinham". EFE

ccg/rpr

(foto) (vídeo)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos