Trump acusa democratas de provocar fechamento parcial do Governo

Washington, 20 jan (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, o republicano Donald Trump, acusou neste sábado a oposição democrata de provocar na sexta-feira o fechamento parcial do Governo, justo no dia em que o magnata completa um ano no poder.

"Os democratas estão muito mais preocupados com os imigrantes ilegais do que com as nossas grandes Forças Armadas ou a Segurança na nossa perigosa fronteira sul. Eles poderiam facilmente ter alcançado um acordo, mas decidiram brincar com a política do fechamento", afirmou Trump em sua conta do Twitter.

"#NecesitamosMásRepublicanosIn18 para acabar com este caos!", apontou o governante, ao criar uma hashtag se referido às eleições legislativas de novembro.

"Este é o Primeiro Aniversário da minha Presidência e os Democratas queriam dar me um engraçado presente", ironizou Trump.

O presidente lembrou que seu partido só tem uma maioria de "51 votos" frente a 49 democratas no Senado, que não aprovaram na sexta-feira durante a noite os novos fundos para financiar a Administração, para os quais eram necessários 60 votos.

"Por isso, necessitamos ganhar mais republicanos na eleição de 2018! Podemos então ser inclusive mais duros com o Crime (e a Fronteira), e inclusive melhores com as nossas Forças Armadas & Veteranos", concluiu Trump.

O Senado não aprovou na sexta-feira os novos fundos necessários para financiar o Governo e forçou assim ao Executivo de Trump um fechamento parcial e indefinido de suas atividades que entrou em vigor a partir da meia-noite de ontem.

A proposta orçamental apresentada pelos republicanos obteve mais votos a favor (50) do que contra (48).

Esta proposta, que a Câmara Baixa conseguiu aprovar na quinta-feira, financiaria o Governo até 16 de fevereiro, prolongando assim o prazo de negociação entre democratas e republicanos para orçamentos definitivos.

Os democratas, no entanto, condicionaram o apoio às contas à regularização dos perto de 800 mil jovens sem documentos conhecidos como "dreamers" ("sonhadores").

O status legal com o qual o ex-presidente Barack Obama dotou estes jovens expira em 5 de março, data a partir da qual poderiam ser deportados.

Ainda que Trump tenha se envolvido pessoalmente nas negociações com os democratas para alcançar os fundos necessários para manter o seu Governo em funcionamento, este não cederam.

Perante a perspectiva de um iminente fechamento de Governo, o presidente cancelou sua viagem prevista sexta-feira a Mar-a-Lago, seu luxuoso clube da Flórida, onde pretendia celebrar o seu primeiro aniversário na Casa Branca com uma festa de arrecadação de fundos. EFE

pa/ff

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos