EUA pedem à Turquia para moderar ofensiva militar em território sírio

Jacarta, 23 jan (EFE).- O secretário de Defesa dos Estados Unidos, James Mattis, pediu nesta terça-feira ao governo turco para moderar sua ofensiva militar em território sírio após o ataque às milícias curdas, até agora aliadas de Washington na região de Afrin, fronteiriça com a Turquia.

Segundo Mattis, a ofensiva de Ancara, iniciada há quatro dias, interrompe o retorno pacífico dos refugiados sírios e pode desencadear em uma nova crise humanitária.

O representante dos EUA, que se encontra em Jacarta durante uma excursão a países asiáticos que prossegue na quarta-feira no Vietnã, declarou que a nova frente de batalha pode ser explorada por grupos jihadistas como o Estado Islâmico (EI) e a Al Qaeda.

A Turquia iniciou no sábado a operação "Ramo de Oliveira" no enclave curdo-sírio de Afrin para expulsar da fronteira a milícia curda Unidades de Proteção do Povo (YPG).

As YPG são aliadas dos EUA contra o EI, mas Ancara as considera uma organização terrorista relacionada ao PKK, a guerrilha curda que enfrenta há três décadas o Estado turco.

Mattis apontou que a região de Afrin estava se estabilizando antes dos novos combates, em declarações à imprensa após uma reunião com o seu homólogo indonésio.

O exército turco avançou oito quilômetros em Afrin e abriu na segunda-feira uma nova frente pelo leste, avançando desde a cidade síria de Azaz junto ao seu aliado, Exército Livre Sírio (ELS).

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, insistiu nesta terça-feira que seu país continuará "até a vitória" com sua operação militar contra milícias curdas, em uma campanha na qual morreram pelo menos dois soldados turcos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos