Líder opositor egípcio Khaled Ali se retira da corrida presidencial

Cairo, 24 jan (EFE).- O líder opositor egípcio Khaled Ali anunciou nesta quarta-feira que não será candidato nas eleições presidenciais do Egito, previstas para março, nas quais o atual presidente, Abdel Fattah al Sisi, parte como amplo favorito.

"Hoje anuncio que não vou continuar na corrida (eleitoral) e não vou entregar os documentos (necessários) para me candidatar" nas eleições, disse Ali, que representava a fraca oposição de esquerda e revolucionária egípcia.

O ex-candidato à presidência afirmou que tomou esta decisão após consultar todos os membros da sua equipa e todos os partidos e movimentos que o apoiaram, entre eles o 6 de Abril, que desempenhou um papel de destaque na revolução egípcia de 2011.

"Pensamos que a corrida (presidencial) seria uma saída para a situação atual e decidimos aproveitá-la, mas essa saída se fechou", acrescentou Ali em uma entrevista coletiva no Cairo.

"A decisão de não continuar é difícil e amarga e não foi fácil tomá-la em poucas horas", destacou o advogado de direitos humanos, que anunciou sua postura um dia após a detenção e interrogatório de outro candidato à presidência, o ex-chefe do Estado Maior Sami Anan, que era visto como o principal rival de Al Sisi.

Além disso, Ali apontou que os eventos de ontem e outros incidentes que afetaram sua própria campanha "envenenaram o processo político" das eleições de março, que qualificou de "referendo".

Por enquanto, Al Sisi é a única figura de destaque que concorrerá nas eleições após a desistência do ex-primeiro-ministro Ahmed Shafiq, que supostamente recebeu pressões para que não apresentasse sua candidatura oficial.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos