Procurador afirma que Lula "se corrompeu" e que sua condenação está provada

Porto Alegre, 24 jan (EFE).- O procurador regional Mauricio Gotardo Gerum, represente do Ministério Público Federal (MPF) no julgamento de segunda instância do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, afirmou nesta quarta-feira que o petista "lamentavelmente se corrompeu" e que sua condenação está "suficientemente provada".

"São suficientes provados os fatos que levaram à condenação (...) Lamentavelmente Lula se corrompeu", disse Gerum em sua sustentação oral no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre.

Os três magistrados que integram a oitava turma do TRF-4 decidirão se mantêm, modificam ou anulam a sentença por corrupção passiva e lavagem de dinheiro ditada contra Lula pelo juiz Sérgio Moro em um caso relacionado com Operação Lava Jato.

Nesta causa, uma das sete abertas contra o ex-presidente na Justiça, a maioria por suposta corrupção, Lula responde por supostos subornos recebidos da construtora OAS, que teriam se configurado na entrega de um triplex no Guarujá em troca de favorecimentos a essa empresa em contratos com a Petrobras.

Gerum considerou em sua fala que a investigação demonstrou que o citado imóvel foi reservado para a família de Lula e que há evidências da sua interferência repetida na Petrobras.

O procurador situou Lula no "maior esquema de corrupção do Brasil" e denunciou a existência de uma "tropa de choque" no parlamento durante os mandatos do ex-presidente "para perpetuar um projeto politico pessoal".

Gerum também criticou a tentativa de transformar o processo em "um julgamento politico", tese defendida por Lula e seus advogados, e que, segundo o procurador, ofende a instituição, o Poder Judiciário e as vítimas dos crimes cometidos.

"Se esta Corte absolver o ex-presidente, a Justiça será feita. Se mantiver a condenação, a Justiça também será feita", comentou Gerum, que também denunciou a "promiscuidade entre o mundo politico e o mundo empresarial".

Por sua vez, a parte acusadora da Petrobras insistiu também que há uma "cadeia de provas irresistíveis".

"A Petrobras foi vítima de uma refinada organização criminal, sofisticada e profissional", declarou o advogado René Dotti.

"Havia audácia nas iniciativas e eficiência", acrescentou, para depois completar dizendo que "a esperança de hoje é a condenação destes réus por absoluta necessidade do povo brasileiro".

O ex-presidente não está presente na audiência, uma vez que a Justiça lhe autorizou a ausentar-se porque não seria interrogado, e acompanha a sessão na sede do sindicato dos metalúrgicos de São Bernardo do Campo, onde iniciou sua carreira política e participou da fundação do PT em 1980.

Centenas de manifestantes, tanto a favor como contra Lula, se concentram nas imediações do tribunal, situado em uma área de Porto Alegre na qual foi fechado o trânsito de veículos e pedestres e se instalou um forte dispositivo de segurança, que inclui até franco-atiradores postados nas sacadas de alguns edifícios.

O julgamento definirá o futuro pessoal de Lula e o desenvolvimento do processo politico em relação com as eleições de outubro, nas quais o ex-presidente pretende concorrer como candidato do PT.

Lula lidera até agora as pesquisas, mas uma eventual ratificação da condenação hoje pode impedi-lo de ser candidato, o que seria decidido posteriormente pela Justiça eleitoral.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos