Greenpeace alerta sobre problemas de saúde devido à poluição em Bangcoc

Bangcoc, 25 jan (EFE).- A organização ecologista Greenpeace alertou nesta quinta-feira sobre os possíveis problemas de saúde que põem em risco a população de Bangcoc, onde residem mais de 8 milhões de pessoas, por causa dos altos níveis de poluição no ar.

"Foram atingidos níveis (de contaminação) que não tinham sido experimentados antes", disse à Efe Ratanasiri Kitikongnapang, representante do Greenpeace na Tailândia.

Desde o início de semana, uma fina camada de fumaça tinge de cinza a capital tailandesa, cujo Índice da Qualidade do Ar (ICA) marca nesta quinta-feira a concentração de 123 partículas contaminantes por metro cúbico ou alerta de nível laranja - "prejudicial à saúde para grupos sensíveis" - em parte da cidade.

As autoridades pediram aos moradores, especialmente àqueles com problemas respiratórios, para terem precaução e usar máscaras.

Segundo os dados do Greenpeace, cerca de 37 mil pessoas morreram em 2015 em todo o país devido aos altos registros de poluição, que também acontecem nas cidades industriais de Ayutthaya e Saraburi - ao norte de Bangcoc - onde hoje o ICA mostrava alerta vermelho ou poluição "prejudicial à saúde".

"Nas regiões onde há mais concentração de partículas prejudiciais para a saúde existe uma ameaça para as pessoas que podem sofrer desde doenças respiratórias a câncer", segundo a especialista.

Os principais fatores para se chegar à presente situação são os congestionamentos, a atividade industrial e a produção de energia - principalmente nas centrais de carvão.

O Greenpeace pediu ao governo tailandês para melhorar os serviços de transporte público para diminuir o tráfego - especialmente denso em Bangcoc -, e aumentar a aposta em energias renováveis.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos