Presidente sul-coreano visita hospital incendiado com 37 pessoas morreram

Seul, 27 jan (EFE).- O presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, visitou neste sábado o hospital da cidade de Milyang, onde ontem morreram 37 pessoas e mais de 140 ficaram feridas por causa de um incêndio.

A visita de Moon, que quis ir ao local para prestar solidariedade aos parentes das vítimas, não foi anunciada e durou 1h40, segundo informou a agência de notícias "Yonhap".

O governo sul-coreano realizou ontem uma reunião de emergência e pediu que as autoridades investiguem para esclarecer as causas do incêndio.

Enquanto é investigado se o hospital contava com as medidas de segurança necessárias, as críticas crescem na quarta economia da Ásia e a oposição pediu responsabilidades políticas.

Este incidente ocorreu depois que dezembro do ano passado, um incêndio em uma academia na cidade sul-coreana de Jecheon (centro do país) deixou 29 mortos e 36 feridos.

Na tragédia de ontem, as chamas começaram no início da manhã na sala de emergências do primeiro andar do prédio principal do Hospital Sejong.

Trata-se do pior incêndio registrado na Coreia do Sul desde 2008, quando 40 trabalhadores morreram em um armazém da cidade de Icheon. EFE

asb-raa/phg

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos