Trump diz que negociaria "Brexit" com mais "firmeza" que May

Londres, 28 jan (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse neste domingo que negociaria com mais firmeza que a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, se estivesse discutindo as condições da saída da União Europeia (UE).

Em uma entrevista à emissora "ITV" gravada na quinta-feira, em Davos, na Suíça, e que será exibida na noite de hoje, Trump afirmou que o Reino Unido está em uma "boa posição" nas negociações com a UE, apesar de revelar que adotaria uma "atitude diferente" de May.

"Seria esse o modo como eu negociaria? Não, eu não negociaria dessa forma como ela está negociando. Eu teria adotado uma atitude diferente", disse Trump, segundo um trecho da entrevista antecipada pelo jornal "Mail on Sunday".

"Eu teria dito que a UE não é tão maravilhosa como se acha que ela é. Teria adotado uma posição de mais firmeza sobre a saída do bloco", completou o presidente americano.

Trump afirmou que compreende os motivos que levaram os britânicos a votarem a favor do "Brexit" no referendo de junho de 2016.

"Conheço os britânicos e os compreendo. Não querem que haja pessoas de todo o mundo vindo para o Reino Unido. Não sabem nada sobre essas pessoas", disse o presidente americano, sugerindo ter previsto o resultado do referendo do "Brexit".

O apresentador da emissora "ITV" que conversou com Trump, Piers Morgan, afirma ao "Mail on Sunday" que o presidente afirmou a ele, antes de começar a entrevista, que May o convidou a ir ao Reino Unido duas vezes neste ano.

Morgan afirma que Trump pode ir a Londres para uma visita de trabalho em julho e retornar à capital britânica em outubro, desta vez para uma visita de Estado. O escritório da primeira-ministra não confirmou o calendário revelado pelo jornal.

Trump disse, além disso, que não foi convidado para o casamento do príncipe Harry no dia 19 de maio com a atriz americana Meghan Markle, no castelo de Windsor, no centro da Inglaterra.

"Quero que eles sejam felizes, quero realmente que sejam felizes. Parecem um casal maravilhoso", disse Trump sobre os dois.

Em outro trecho da entrevista divulgado ontem, Trump diz que estaria disposto a pedir desculpas por ter compartilhado em novembro do ano passado no Twitter vídeos de um grupo da extrema direita britânica, o que gerou tensões com o governo de May.

"Se vocês estão me dizendo que essas pessoas são horríveis, racistas, eu certamente me desculparia", disse.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos