Apesar de antecipação de eleições, oposição volta ao diálogo com chavistas

Santo Domingo, 29 jan (EFE).- A oposição venezuelana voltou nesta segunda-feira a Santo Domingo, na República Dominicana, para retomar o diálogo com o governo de Nicolás Maduro, apesar da decisão do chavismo de antecipar para antes de maio as eleições no país.

As reuniões, que começaram com atraso para esperar que todos chegassem à sede do Ministério de Relações Exteriores da República Dominicana, ocorrem em meio a um grande ceticismo.

A coalizão Mesa da Unidade Democrática (MUD), que chega ao diálogo com divisões internas, disse que exigirá "garantias eleitorais que permitam um pleito justo". Já o governo afirmou que está pronto para assinar um acordo com a oposição.

Antes da reunião, o ministro da Comunicação da Venezuela, Jorge Rodríguez, disse que há um documento preliminar que permite afirmar que falta pouco para as partes chegarem a um acordo. Já o líder da delegação da oposição, Julio Borges, não fez declarações.

Os opositores acusam o governo de atrapalhar as negociações por terem declarado dois partidos opositores como ilegais e por terem decretado a antecipação das eleições presidenciais unilateralmente.

Em nota, a MUD afirmou que o encontro representa uma oportunidade definitiva para que o governo revise recentes decisões.

O diálogo busca encontrar uma saída para a grave crise política e econômica da Venezuela.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos