China pede a EUA que trabalhem lado a lado para administrar suas diferenças

Pequim, 31 jan (EFE).- A China pediu nesta quarta-feira aos Estados Unidos que ambos países trabalhem lado a lado para administrar de maneira adequada suas "diferenças" e manter um "desenvolvimento estável" das suas relações bilaterais, em resposta ao discurso sobre o Estado da União do presidente americano Donald Trump, no qual qualificou a China como "rival".

"Esperamos que os EUA abandonem a mentalidade desfasada da Guerra Fria e trabalhem com a China para que administremos de maneira adequada nossas diferenças, e mantenhamos o desenvolvimento estável e saudável das nossas relações", disse em coletiva de imprensa em Pequim uma porta-voz do Ministério de Relações Exteriores, Hua Chunying.

Hua apontou que ambas nações "compartilham amplos interesses comuns, ao mesmo tempo em que têm algumas divergências e diferenças", mas que "os fatos e a história demonstraram que a cooperação de benefício mútuo é a única opção viável".

Perante as perguntas sobre a tensão diplomática entre EUA e Rússia, a porta-voz oficial chinesa apenas declarou que "as relações de China e Rússia não se verão afetadas por fatores externos".

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou ontem em seu discurso que Rússia e China "desafiam" os valores americanos.

"Ao redor do mundo, enfrentamos regimes arrogantes, grupos terroristas e rivais como China e Rússia que desafiam nossos interesses, nossa economia e nossos valores", declarou Trump perante o Congresso durante seu discurso sobre o Estado da União.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos