Berlusconi diz que teve papel determinante no final da Guerra Fria

Roma, 15 fev (EFE).- O ex-primeiro-ministro italiano e líder do partido de centro-direita Força Itália, Silvio Berlusconi, afirmou nesta quinta-feira que teve um papel determinante para conseguir o fim da Guerra Fria, que na sua opinião não aconteceu entre 1989 e 1991, mas em 2002.

Em uma entrevista ao programa "Unomattina", da emissora pública italiana, Berlusconi lembrou que quando estava à frente do governo em 2001 disse "publicamente" que queria terminar a Guerra Fria, que tinha começado "50 anos antes e era uma angústia terrível".

Berlusconi, que está realizando uma ativa campanha para as eleições legislativas do próximo dia 4 de março, apesar de não poder ser candidato por estar inelegível, disse que "convenceu" em 2002 os presidentes dos Estados Unidos, George W. Bush, e da Rússia, Vladimir Putin, a darem fim às tensões, e fez isso "utilizando" o seu "talento para as relações sociais".

Para ele, graças à sua intervenção a Rússia concordou em assinar um tratado de cooperação com a Otan em setores como a luta contra o tráfico de armas e de drogas.

O Força Itália está coligado à xenófoba Liga Norte, de Matteo Salvini, entre outros partidos, uma aliança que de acordo com as pesquisas tem 36% das intenções de voto, acima dos 30% do Movimento Cinco Estrelas, que seria o grupo político mais votado sozinho.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos