Irmãos suspeitos de fabricar bombas são presos em Nova York

Nova York, 16 fev (EFE).- Dois irmãos foram presos na quinta-feira, em Nova York, acusados de fabricar materiais explosivos, em um caso que, em princípio, foi descartado algum vínculo com o terrorismo, de acordo com as autoridades.

Os detidos são Christian e Tyler Toro, que viviam no distrito nova-iorquino do Bronx e que, pelo menos desde outubro do ano passado, utilizavam sua residência para fabricar explosivos, sem que tenham informado o destino que queriam dar para esse material.

As investigações começaram pouco depois do registro de uma ameaça de bomba em um colégio de ensino médio do Harlem e que fosse detido um dos estudantes pela sua relação com esse fato.

Christian Toro, que era professor deste colégio, decidiu pedir demissão logo em seguida e dois dias depois, seu irmão Tyler devolveu a instituição um laptop que a escola tinha dado ao antigo funcionário para seu desempenho profissional.

Ao revisar o conteúdo do computador, foi encontrada uma cópia de um livro com instruções para fazer explosivos, mas ao ser interrogado, no último dia 8, o antigo professor disse que apenas tinha baixado na internet para uma pesquisa e negou ter fabricado alguma bomba.

De acordo com o documento da Promotoria, Christian Toro disse que tinha consultado esse manual, pois investigava o atentado na Maratona de Boston, em 2013.

Mas ontem, policiais falaram com vários estudantes do local e pelo menos dois deles disseram que tinham recebido instruções para separar os componentes de fogos de artifício e separar a pólvora.

Em troca disso, receberiam US$ 50 por hora, acrescenta o documento divulgado pela Promotoria.

Quando os agentes voltaram ao apartamento dos irmãos Toro, encontraram cerca de 15kg de materiais e precursores diferentes para fabricar explosivos, assim como um diário com anotações misteriosas que incluíam ameaças.

Também foi achada um cartão manuscrito onde se lia: "Com a lua cheia, os pequenos conhecerão o terror".

Os dois irmãos foram acusados de fabricação de objetos de destruição utilizando pólvora e de distribuir materiais explosivos para menores de 21 anos.

Durante entrevista coletiva, policiais da cidade e do FBI disseram que as investigações não indicam, por enquanto, que os dois detidos tenham tido contatos com grupos terroristas e disseram que nesse sentido não há ameaça para a cidade.

Os dois detidos se declararam inocentes das acusações e no próximo dia 19 de março, comparecerão a audiência judicial preliminar.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos