Milhares de pessoas exigem na Flórida novas leis sobre armas

Miami, 17 fev (EFE).- Milhares de pessoas, entre eles muitos sobreviventes do ataque ocorrido esta semana na escola Marjory Stoneman Douglas (Flórida, EUA), pediram neste sábado um novo marco legal que restrinja o acesso de armas à população civil.

Numa concentração realizada na cidade de Fort Lauderdale, no sul da Flórida e próxima a Parkland, cidade onde fica a escola, milhares de pessoas reivindicaram aos políticos da Flórida que modifiquem as leis sobre o acesso e uso de armas de fogo.

Gritando palavras de ordem, os milhares de manifestantes, na sua maioria jovens, se concentraram na frente da sede dos tribunais federais dessa cidade.

A concentração aconteceu após o massacre de quarta-feira passada realizado por Nikolas Cruz, de 19 anos, um ex-aluno dessa escola que foi expulso por problemas disciplinares, matando 17 pessoas, entre eles 14 alunos, ferindo 15.

Entre quem falou ao microfone estava a estudante de ensino médio Marjory Stoneman Douglas Emma González, que com palavras emocionadas pediu aos políticos americanos para modificar as leis em relação às armas de fogo.

"Neste caso, se ativamente não fizerem nada, as pessoas vão continuar morrendo. Portanto é hora de começar a fazer algo", declarou a jovem.

"Que vergonha", exclamou, em referência aos legisladores republicanos que receberam doações nas suas campanhas da Associação Nacional do Rifle (NRA, na sigla em inglês), o poderoso grupo de pressão contrária a um maior regulamento das armas nos EUA.

As expressões de Marjory são um eco das dezenas feitas por alunos desta escola ou de alunos de todo o país e difundidas nos últimos dias através das redes sociais ou redes de televisão.

Sarah Chadwick, uma aluna da escola Marjory Stoneman Douglas, publicou um tuíte dirigido aos políticos e que se tornou viral: "Façam algo em vez de enviar orações".

O superintendente escolar do Condado de Broward, Robert Runcie, pediu aos participantes da manifestação para converter a "raiva" e a "frustração" em ação, para desenvolver um marco legal de "senso comum" sobre as armas nos EUA.

Em contraste com esta marcha, a cerca de 80 quilômetros ao sul de Parkland, foi inaugurada neste sábado a Feira de Armas de Miami, um dos eventos dedicados a essa indústria do estado e que atraiu cerca de 140 revendedores, informou a "NBC News".

Entre as armas à venda estava justamente o rifle AR 15, um dos quais foi utilizado por Nikolas Cruz para realizar o massacre, de acordo com o Escritório do Xerife do Condado de Broward.

De acordo com as leis da Flórida, um rifle deste tipo pode ser adquirido a partir dos 18 anos de idade.

"Não há falta de respeito ou insensibilidade intencional por causa deste espetáculo de armas planejadas faz muito tempo", segundo a organização em comunicado.

Cruz, que perdeu sua mãe adotiva em novembro e sofre de desordens mentais, segundo comunicado do Departamento de Crianças e Famílias da Flórida, está preso sem direito à fiança no Condado de Broward, após receber 17 acusações de assassinato premeditado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos