Desmoronamento em lixão deixa 17 mortos em Maputo

Maputo, 19 fev (EFE).- Pelo menos 17 pessoas morreram nesta segunda-feira na capital de Moçambique, Maputo, após um deslizamento de lixo ocorrido pelas fortes chuvas no lixão de Hulene, o maior do país, confirmou o Serviço Nacional de Salvamento Público.

As vítimas residiam ao lado do depósito de lixo quando foram surpreendidas pelo desmoronamento de toneladas de resíduos sólidos por volta das 3h local (22h, em Brasília).

As autoridades indicaram que seguem com as tarefas de busca por vítimas, já que contam com informações de que mais pessoas viviam na zona onde aconteceu o deslizamento.

Nos últimos anos foram erguidas milhares de casas informais nos arredores do depósito, que não conta com um muro de contenção que o separe da área residencial.

O lixão de Hulene, aberto há menos de 40 anos e que armazena os resíduos domésticos, industriais e sanitários de Maputo, tem cerca de 12 hectares e os resíduos acumulados alcançam uma altura equivalente à de um edifício de dois andares.

Em 2009, a Câmara Municipal da capital decidiu fechá-lo e transferir o lixo a outra local nos arredores da área urbana, mas a falta de fundos impossibilitou a mudança até o momento.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos