Maduro desafia Trump a fixar diálogo em Caracas ou em Washington

Caracas, 19 fev (EFE).- O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, desafiou nesta segunda-feira seu homólogo dos Estados Unidos, Donald Trump, a fixar um diálogo em Caracas ou Washington e lhe instou a "mudar sua agenda de pressão" contra a chamada revolução bolivariana.

"(Trump) fez campanha promovendo a não intromissão nos assuntos internos de outros países. Chegou o momento de cumprir isso e mudar sua agenda de agressão por uma de diálogo. Diálogo em Caracas ou Washington? Diga hora e lugar e aí estarei", escreveu o presidente venezuelano no Twitter, onde marcou o perfil de Trump.

Os Estados Unidos, que qualificam Maduro como "ditador", aprovaram nos últimos meses sanções econômicas contra altos funcionários do chavismo e contra a companhia petrolífera estatal PDVSA.

Por sua vez, a União Europeia aprovou no último mês de janeiro sanções contra sete funcionários do governo de Maduro, além do embargo de armas e veto a material que possa ser utilizado para a "repressão interna" na Venezuela.

O governo venezuelano denunciou que todas estas ações obedecem a um plano de pressão de Washington para remover Maduro do poder.

O presidente venezuelano planeja viajar em abril à Cúpula das Américas, onde se veria pela primeira vez frente a frente com Trump, mas o governo do Peru, anfitrião da reunião, garantiu que não permitirá a entrada ao país de Maduro, por considerar que menosprezou a democracia em seu país.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos