Israel critica Abbas após seu discurso no Conselho de Segurança da ONU

Jerusalém, 20 fev (EFE).- O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, e ministros do seu governo de coalizão criticaram o discurso que o presidente palestino, Mahmoud Abbas, fez nesta terça-feira perante o Conselho de Segurança da ONU, onde pediu um novo mecanismo internacional que impulsione o estancado processo de paz.

"Abbas não iniciou nada, continua fugindo da paz e pagando aos terroristas e às suas famílias US$ 347 milhões", declarou Netanyahu em um comunicado, em referência a palestinos encarcerados ou mortos por Israel por cometer ataques, além de suas famílias.

Em seu discurso, Abbas pediu a realização de uma conferência internacional este ano na qual se formaria um "mecanismo multilateral internacional" que intermediasse entre israelenses e palestinos, durante negociações que derivassem em um acordo de paz definitivo.

Esta proposta é feita após o reconhecimento dos Estados Unidos de Jerusalém como capital de Israel, o que para os palestinos desqualificou Washington como mediador em um processo de negociações e lhes embarcou na busca por alternativas multilaterais.

Por sua vez, o ministro de Educação israelense, Naftali Benet, escreveu no Twitter que "uma nação que inventa seu passado não tem futuro", assegurando que "os antepassados dos palestinos podem ter existido há 5.000 anos, mas mais ao sul da península arábica", e recomendou a Abbas "centrar-se não em construir um passado imaginário, mas um futuro prático".

Já o embaixador israelense na ONU, Danny Danon, assegurou que Abbas, "com as suas palavras e suas ações", deixou claro que "já não é parte da solução", senão "o problema".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos