Londres quer período de transição do "brexit" aberto, segundo documento

Londres, 21 fev (EFE).- O Governo do Reino Unido é a favor de que o período de transição que começará após o "brexit", a saída do país da União Europeia (UE), fique aberto, a fim de preparar a futura relação comercial entre Londres e Bruxelas, segundo um documento oficial vazado nesta quarta-feira.

O texto, publicado pela imprensa britânica, revela que o Reino Unido se mostra a favor de que a UE deixe aberta a possibilidade de estender esse período de maneira indefinida, em vez de estabelecer um tempo fixo de aproximadamente dois anos.

A pedido do Governo de Theresa Mai aborda um ponto sensível para os deputados conservadores que apoiam a retirada "dura" do Reino Unido da UE, sem acesso ao mercado único europeu e à união aduaneira, a fim de que o país possa negociar livremente acordos comerciais com outros países após o "brexit", cuja data está afixada para o dia 29 de março de 2019.

A UE quer que esse período de transição termine em dezembro de 2020, mas Londres prefere que seja em março de 2021.

"O Reino Unido acredita que a duração do período deveria ser determinado simplesmente pelo tempo que levará preparar e implementar os novos processos e sistemas que vão escorar a futura associação com a UE", indica o texto.

Segundo a imprensa, Londres recebeu pressões das empresas britânicas para manter a porta aberta a um período mais longo, durante o qual o Reino Unido ficaria como membro do mercado único e da união aduaneira, sob jurisdição do Tribunal europeu de justiça, mas não teria voz sobre as regras comunitárias.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos