Governador do Texas troca pena de morte por prisão perpétua minutos antes de execução de detento

Em Washington

  • Kent Withaker/Arquivo pessoal

    Da esquerda para direita, Kevin, Patricia, Thomas "Bart" (que matou os dois primeiros e foi beneficiado pela substituição de pena nesta 5ª) e Kent Whitaker, o pai, que sobreviveu

    Da esquerda para direita, Kevin, Patricia, Thomas "Bart" (que matou os dois primeiros e foi beneficiado pela substituição de pena nesta 5ª) e Kent Whitaker, o pai, que sobreviveu

O governador do Texas, Greg Abbott, resolveu substituir, nesta quinta-feira (22), a condenação à morte do detento Thomas "Bart" Whitaker por uma pena de prisão perpétua a pouco mais de meia hora da sua execução.

Trata-se de uma decisão muito pouco habitual nesse estado americano, que desde a restituição da pena de morte em 1976 executou 548 presos e comutou as penas capitais de apenas dois.

Abbott, por exemplo, tinha permitido 30 execuções em seus três anos como governador do Texas sem intervir em nenhum caso até hoje.

Whitaker, 38, foi condenado à morte pelos assassinatos em 2003 de sua mãe, Patricia, e de seu irmão, Kevin; assim como pela tentativa de assassinato do seu pai, Kent.

Whitaker, então um jovem universitário de classe alta, contratou seu amigo Chris Brashear para que assassinasse a todos com o objetivo de cobrar US$ 1,5 milhão do seguro de vida familiar.

Os planos do jovem não saíram como ele tinha previsto, razão pela qual decidiu fugir ao México antes que os investigadores começassem a suspeitar.

No entanto, os planos também não saíram bem esta vez: o amigo que o tinha ajudado a fugir terminou delatando-o e revelou seu paradeiro às autoridades em troca de uma recompensa.

Um júri condenou Whitaker à morte pela autoria intelectual dos crimes, enquanto Brashear recebeu a prisão perpétua nos julgamentos realizados em 2007.

Embora também tenha sido vítima do filho, o pai de Whitaker liderou durante todo este tempo uma campanha para que seu único filho vivo tivesse a pena de morte comutada.

Com a execução prevista para hoje, Kent Whitaker teve a oportunidade de apresentar seu caso perante a Junta de Indultos e Liberdade Condicional do Texas, que emite recomendações ao governador, com autoridade para comutar penas.

Em uma decisão muito incomum, a junta recomendou nesta semana a Abbott que comutasse a pena de Whitaker, algo que finalmente o governador fez hoje, a pouco mais de 30 minutos da execução.

Whitaker evitou sua execução hoje, mas passará o resto dos seus dias cumprindo prisão perpétua.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos