PUBLICIDADE
Topo

Promotoria apresenta novas acusações contra casal que sequestrou filhos

23/02/2018 21h49

Los Angeles (EUA), 23 fev (EFE).- O casal americano que supostamente torturou e manteve em cativeiro seus 13 filhos na Califórnia compareceu novamente nesta sexta-feira perante o juiz para que a promotoria apresentasse novas acusações contra os dois.

O escritório do promotor de Riverside, uma cidade situada 100 quilômetros ao leste de Los Angeles, indicou hoje que David e Louise Turpin enfrentam três novas acusações por maus-tratos de menores, enquanto a mulher também terá que defender-se de uma nova acusação por agressão.

Com estas adições, as autoridades apresentaram um total de 42 acusações contra David e Louise, entre as quais se incluem crimes por tortura, detenção ilegal, abusos de menores e adultos independentes, e ato lascivo contra um menor.

No último dia 18 de janeiro, o casal Turpin se declarou "inocente" após escutar as primeiras acusações feitas contra eles.

O juiz que tramita o caso estabeleceu então uma fiança de US$ 12 milhões para cada um.

Os Turpin voltarão a comparecer perante o juiz no próximo dia 23 de março para continuar com aspectos procedimentais do caso, enquanto a audiência preliminar ficou fixada para 14 de maio.

O caso dos Turpin, que causou grande impacto nos Estados Unidos e no mundo, foi revelado depois que uma das suas filhas conseguiu fugir da casa da família em Perris, na Califórnia, no último dia 14 de janeiro, e chamou a polícia usando um telefone que encontrou no imóvel.

Nos dias seguintes, as autoridades detalharam as penosas e insalubres condições nas quais permaneciam encarcerados os filhos, de entre dois e 29 anos, que foram acorrentados em diferentes móveis e que sofriam de desnutrição severa - exceto o menor - em uma casa com um intenso mau cheiro.

Por enquanto não se conhecem as razões que levaram os Turpin a abusar de maneira extrema dos seus filhos, a quem, por exemplo, obrigavam a permanecer acordados durante toda a noite e dormir durante o dia.

No último dia 24 de janeiro, um juiz de Riverside opinou que os Turpin não poderão se aproximar de seus filhos nem poderão entrar em contato com eles através do telefone ou e-mail, exceto que o façam por meio do seu advogado.