Trump nomeia Brad Parscale como chefe de campanha eleitoral de 2020

Washington, 27 fev (EFE).- O presidente americano, Donald Trump, nomeou nesta terça-feira o estrategista político Brad Parscale como chefe da campanha com a qual buscará a reeleição em novembro de 2020, um objetivo para o qual já está há mais de um ano arrecadando fundos.

Trump já deixou clara sua intenção de concorrer a um segundo mandato no mesmo dia em que chegou ao poder, em 20 de janeiro de 2017, quando tramitou os documentos necessários para concorrer pela Presidência em 2020.

Seu porta-voz, Sarah Huckabee Sanders, confirmou em junho que Trump buscaria a reeleição e o líder começou a se envolver nesse mês no esforço de arrecadação de fundos que sua campanha, com sede em Nova York, tinha iniciado quando chegou ao poder.

Hoje, a campanha do presidente deu mais um passo ao anunciar que colocava à frente da operação, dois anos e meio antes das eleições, Brad Parscale, que trabalhou na equipe eleitoral de Trump em 2016 como diretor da estratégia digital.

"Brad tem um talento incrível e foi crucial no nosso sucesso em 2016. Tem a confiança completa da nossa família e é a pessoa perfeita para estar à frente da campanha", disse Eric Trump, o terceiro filho do presidente, em comunicado.

Segundo a campanha de Trump, Parscale não só se dedicará a "construir uma infraestrutura" para a corrida eleitoral de 2020, mas também proporcionará apoio a candidatos republicanos nas eleições legislativas de novembro deste ano, nas quais será renovada a Câmara Baixa e parte do Senado.

Parscale, de 42 anos, é um empresário especializado em design de sites e marketing digital que não se envolveu em política até 2015, quando foi contratado para criar um portal de Internet para a campanha de Trump.

Embora seu cargo fosse o de diretor de operações digitais, Parscale desenvolveu uma relação próxima com o genro de Trump, Jared Kushner, e tomou as rédeas da despesa da campanha em anúncios televisivos e redes sociais, além de trabalhar com o secretariado do partido republicano para mobilizar eleitores.

Segundo a rede de televisão "CNN", Parscale contratou empregados do Facebook para aproveitar essa rede social com o objetivo de promover Trump e prejudicar a candidata democrata, Hillary Clinton.

Parscale lembrou em entrevista no ano passado que Trump custava entender a despesa da campanha em anúncios digitais, e que inclusive chegou a gritar com ele uma vez por isso.

Também afirmou que, durante a última semana da campanha de 2016, revisou os dados e se deu conta de que Trump poderia ter vantagem em dois estados que depois foram cruciais para a vitória do candidato republicano.

"Tomei cada centavo que pude e o movimentei para Michigan e Wisconsin. E comecei a comprar anúncios digitais e de televisão" por lá, afirmou Parscale ao programa "60 Minutes" da emissora "CBS".

O novo chefe de campanha de Trump insistiu que não estava a par de nenhum esforço da Rússia para influenciar na campanha de 2016 a favor de Trump, e no ano passado testemunhou sobre o tema nos comitês do Congresso que investigam essa suposta ingerência.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos