PUBLICIDADE
Topo

Polícia detém homem que provocou restrição de acesso a escolas em Nova York

28/02/2018 12h53

Nova York, 28 fev (EFE).- As autoridades do estado de Nova York, nos Estados Unidos, prenderam o suspeito de ter matado uma mulher a tiros, e cuja procura obrigou ontem as escolas a adotarem medidas de segurança, restringindo o acesso a seus recintos ('lockout'), em cinco distritos no condado de Westchester, informaram nesta quarta-feira veículos de imprensa locais.

Cynelle Brown, de 28 anos, foi detido na rodoviária de Port Authority, em Manhattan, na noite de ontem, quando tentava comprar uma passagem para Wilmington, no estado de Delaware, segundo a emissora local "ABC 7".

A polícia informou que, por volta das 7h15 locais de terça-feira (10h15 em Brasília), uma mulher de 34 anos foi morta a tiros no complexo de apartamentos Sleepy Hollow Gardens, situado na cidade de Tarrytown, e que o suspeito estava foragido.

No começo da manhã, as escolas dos distritos de Tarrytown e Irvington, próximos do local do crime, impuseram restrições de acesso e cancelaram as atividades no ambiente externo, mas sem suspenderem as aulas, como precaução, enquanto as autoridades faziam buscas pelo suspeito, uma medida que depois também foi adotada pelos distritos escolares de Hastings-on-Hudson, Elmsford e Dobbs Ferry.

Segundo uma postagem do distrito escolar de Tarrytown no Twitter, os acessos às escolas permaneceram fechados com presença policial, sem que houvesse "uma ameaça imediata" para os moradores da região enquanto as forças da ordem estavam à procura do suspeito.

De acordo com a "ABC 7", a polícia encontrou uma arma em uma lata de lixo e as forças especiais da SWAT estiveram envolvidas nos trabalhos de busca pelo suspeito.

Por volta das 19h locais (22h em Brasília) de ontem, agentes que estavam à paisana viram o suspeito na estação de Port Authority, depois que o FBI, a polícia federal investigativa dos EUA, divulgou suas imagens.

Brown estava desarmado e acompanhado por uma mulher, que foi identificada como sua tia, e pelo filho desta, enquanto esperava em uma fila para comprar uma passagem de ônibus, informou a emissora "CBS".

De acordo com informações policiais, o suspeito da morte da mulher está sob custódia das autoridades de Tarrytown e ainda não foram apresentadas acusações formais contra ele.