Governo alemão ainda está tentando controlar ciberataque contra sua rede

(Acrescenta informação sobre suposto hackeamento russo e outros detalhes).

Berlim, 1 mar (EFE).- O ciberataque que atingiu parte da rede de computadores do governo federal da Alemanha continua em andamento e os especialistas estão tentando mantê-lo sob controle, informou nesta quinta-feira o presidente da comissão de segredos oficiais do parlamento alemão, Armin Schuster.

O deputado da União Democrata-Cristã (CDU, na sigla em alemão), partido da chanceler Angela Merkel, fez um breve pronunciamento à imprensa em nome da comissão, que fez uma reunião de emergência no Bundestag (parlamento) depois que a notícia do ataque vazou ontem.

"Trata-se de um autêntico ciberataque contra uma parte da rede do governo. É um processo, um ataque que ainda está em andamento", confirmou Schuster depois que a comissão ouviu durante duas horas as explicações dos responsáveis do Executivo.

De acordo com a revista "Der Spiegel", o ataque teria vindo de um grupo de hackers russos chamado "Snake", também conhecido como "Turla". De acordo com a publicação, esse grupo, que supostamente age por encomenda dos serviços secretos da Rússia, teria tentado conseguir informações internas do governo alemão.

As primeiras informações divulgadas ontem por diferentes veículos de comunicação alemães apontavam ao chamado "APT28". O deputado do CDU, que evitou dar detalhes da operação em andamento para não "alertar" o autor, apontou que o governo alemão "tenta controlar o processo" e afirmou que ainda é cedo para fazer um balanço dos prejuízos.

O ministro alemão do Interior, Thomas de Maizière, advertiu por sua vez que se trata de um ataque "para ser levado muito a sério", realizado "com profissionalismo" e "extensamente planejado".

Os membros da comissão deixaram visível o descontentamento por saberem através da imprensa sobre o que aconteceu ontem, algo que o porta-voz dos Verdes, Konstantin von Notz, qualificou de "absolutamente inaceitável".

O porta-voz do Ministério do Interior, Johannes Dimroth, confirmou ontem a existência do ataque cibernético e afirmou que ele tinha sido "isolado e controlado", mas também não deu detalhes, argumentando que as investigações ainda estavam em andamento.

Segundo as informações publicadas pela imprensa alemães, os "hackers" teriam acessado, pelo menos uma vez, dados importantes do Ministério de Relações Exteriores e provavelmente de outros departamentos da segurança do estado. Os serviços de espionagem da Alemanha alertaram reiteradamente sobre a ameaça de ações deste tipo por parte de hackers russos.

O RPT 28 é apontado como autor do ataque cibernético detectado em maio de 2015 contra o sistema de computadores do Bundestag, revelado por causa de certas anomalias no funcionamento de rede interna e supostas tentativas de desconhecidos no acesso à base de dados.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos