Mulher de opositor venezuelano denuncia invasão de polícia a sua casa

Caracas, 1 mar (EFE).- Lilian Tintori, a esposa do político opositor Leopoldo López, que está em prisão domiciliar, denunciou nesta quinta-feira que o serviço de inteligência (Sebin) da Venezuela entrou "bruscamente" em sua residência e permanece no interior de sua casa, violando sua privacidade, e afirmou que a custódia de seu marido deve ser fora de seu domicílio.

"Denuncio que integrantes do Sebin entraram bruscamente em nossa casa ontem à noite, sem ordem legal e armados. Nossos filhos estão assustados", escreveu no Twitter Tintori, e acrescentou que "a custódia de Leopoldo López deve ser do lado de fora da residência, NÃO dentro".

Em outra mensagem, Tintori afirmou que é "ilegal e desumano que o Sebin esteja com armas dentro de casa", onde o casal vive com seus três filhos.

A opositora também lembrou que López, que está em prisão domiciliar desde julho do ano passado, "está sendo monitorado" todos os dias e "tem tornozeleira eletrônica", por isso indicou que "não existe nenhuma justificativa para esta ação que afeta três menores de idade".

Segundo Tintori, o serviço de inteligência disse a ela que esta ação é uma "nova ordem vinda de cima".

López, que cumpre condenação por promover um protesto contra o governo em fevereiro de 2014, que acabou derivando em ações violentas, recebeu a medida de prisão domiciliar em julho do ano passado, mas dias depois foi retirado de sua residência e devolvido a uma prisão militar por um suposto risco de fuga.

Após uma semana, López retornou a seu lar. O dirigente político passou mais de três anos detido na prisão militar de Ramo Verde, próxima a Caracas, em isolamento parcial.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos