Governo afirma que 7 soldados morreram em ataque terrorista em Burkina Faso

(Atualiza o número de terroristas mortos e o de feridos).

Ouagadogou, 2 mar (EFE).- Pelo menos sete membros das forças de segurança e de Defesa burquinenses morreram nesta sexta-feira durante o ataque terrorista à zona diplomática da capital de Burkina Faso, Ouagadogou, segundo confirmou o porta-voz do governo, Remeus Dandjinou.

Cinco das vítimas morreram na sede do Estado-Maior das Forças Armadas e outros dois na embaixada da França, os dois principais alvos dos terroristas, dos quais oito foram abatidos pelas forças de segurança, especificou Dandjinou.

O balanço provisório de feridos é de 90 pessoas, principalmente membros das forças de segurança, segundo o Executivo, que não confirmou nenhuma baixa civil até agora.

A polícia evacuou a área do ataque e o exército francês ajuda às forças especiais desta nação da África na operação contra os terroristas, segundo informam meios de comunicação locais.

"Acredito que podemos dar-lhe a qualificação de terrorismo. Agora, as operações nos dirão o que aconteceu, quem são os autores e como sucedeu", explicou Dandjinou em declarações à emissora local "Radio Omega".

Funcionários da emissora "RTB", cujo escritório se encontra ao lado da embaixada francesa, afirmam que cinco pessoas armadas desceram de uma caminhonete nesta manhã aos gritos de "Allahu Akbar" (Alá é grande) antes de começar a disparar e atear fogo ao veículo.

De acordo com a polícia, o ataque segue em curso e também afetou o Instituto Francês.

O portal de notícias "Burkina24" informou que também foram ouvidos disparos no mercado central de Ouagadogou, onde a polícia estaria procurando um dos terroristas.

A polícia pediu aos cidadãos que evitem, na medida do possível, as áreas do ataque, enquanto as forças especiais "estão em ação", um apelo ao qual se somou o embaixador francês no país, Xavier Lapdecab.

"Ataque em curso à embaixada da França e ao Instituto Francês. Fiquem confinados onde estão", escreveu a delegação francesa em sua página no Facebook.

Burkina Faso foi vítima de frequentes ataques de grupos jihadistas nos últimos dois anos. Segundo a apuração mais recente do governo, mais de 70 pessoas morreram no país em atentados terroristas desde 2015.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos