PUBLICIDADE
Topo

Biografia não autorizada revela extravagâncias e excessos do príncipe Charles

21/03/2018 11h21

Londres, 21 mar (EFE).- Uma biografia não autorizada do príncipe Charles revelou algumas extravagâncias do primogênito da rainha Elizabeth II, bem como a má relação da monarca com a duquesa de Cornualha (Camilla), antes de se casar com seu filho.

O livro intitulado de "Rebel Prince: The Power, Passion and Defiance of Prince Charles" ("Príncipe rebelde: o poder, a paixão e a rebeldia do príncipe Charles"), foi escrito pelo jornalista Tom Bower e será colocado à venda amanhã, mas o jornal britânico "Daily Mail" publicou alguns trechos.

Neles, Bower relata várias das extravagâncias e excessos do herdeiro à coroa britânica, entre elas uma viagem à casa de amigos acompanhado de um caminhão de mudanças.

"O caminhão continha os quartos de Charles e de sua mulher Camilla, incluindo a cama ortopédica do príncipe, junto com sua própria roupa de cama, um pequeno rádio, o assento de banheiro, rolos de papel higiênico Kleenex Premium Comfort, uísque Laphroaig e água engarrafada, além de dois quadros das Terras Altas da Escócia", indicou o autor.

A biografia faz um retrato do príncipe Charles, de 69 anos, como uma pessoa "cheia de manias" e "invejosa", bem como "apreciadora do luxo".

Segundo Bower, Charles não tem uma boa relação com seu filho mais velho, o duque de Cambridge, que foi ainda mais prejudicada pela chegada de Kate Middleton à sua vida, já que o futuro rei acredita que "o público ignoraria ele e Camilla" por conta do novo casal, que se casou em 29 de abril de 2011.

Além disso, o escritor afirma que o príncipe pensa que "Diana de Gales envenenou as mentes dos meninos (Harry e Willian)", que "tiveram que lidar com uma avalanche contínua de revelações públicas sobre as relações adúlteras de seus pais" após a morte de Lady Di, em 1997.

A publicação revela, além disso, que a rainha Elizabeth II se negava a aprovar a relação de seu filho com Camilla, quem chegou a qualificar de uma "mulher malvada" e "astuta amante".

"Quando Charles lhe pediu que não proibisse sua relação, a rainha respondeu energicamente que não toleraria jamais o adultério e nem perdoaria Camilla por ser sua amante e não permitir que seu casamento com Diana se recuperasse", sustenta o livro.

"Não quero ter nada que ver com ela", teria dito a rainha sobre sua então namorada para, finalmente, aceitar o casamento, que aconteceu em 8 de abril de 2005.