Novo governador promete punição a culpados por trágico incêndio na Sibéria

Moscou, 1 abr (EFE).- O governador interino da região siberiana de Kemerovo, na Rússia, Sergei Tsiviliov, prometeu neste domingo que fará tudo para que os responsáveis pelo incêndio no shopping em que morreram 64 pessoas no dia 25 de março, a maioria delas crianças, sejam punidos com "todo o rigor da lei".

"Assumo a região em um momento muito difícil, quando morreram dezenas de pessoas, nossas crianças. Quero dizer a vocês (...) que farei tudo para que os culpados por essa terrível tragédia sejam punidos com todo o rigor da lei", declarou o novo governador de Kemerovo.

Tsiviliov foi designado governador interino pelo presidente da Rússia, Vladimir Putin, que aceitou a renúncia apresentada hoje mesmo pelo titular anterior, Aman Tuleyev, de 73 anos, que estava no cargo desde 1997.

Tuleyev foi duramente criticado por sua atuação e suas declarações após o incêndio no shopping "Zimniaya Vishnia" ("Cereja Invernal", em tradução livre).

O agora ex-governador siberiano pediu perdão a Putin pelo acidente e acusou a oposição de estar por trás do grande comício espontâneo, que aconteceu em Kemerovo, a capital regional, para exigir sua saída no dia seguinte à tragédia.

"Ninguém será protegido", garantiu Tsiviliov em seu primeiro pronunciamento como chefe regional, em alusão a que todos aqueles com algum grau de responsabilidade no acidente terão que responder à Justiça

O Comitê de Instrução da Rússia, que conduz as investigações sobre o incêndio, estabeleceu que o shopping foi construído ilegalmente, sem as licenças exigidas.

O edifício foi construído em 1968 como uma fábrica de doces e chocolates e foi remodelado como shopping em 2013.

A investigação estabeleceu que o sistema de alarme de incêndio do shopping estava desligado há vários dias e que as portas dos dois cinemas situados no quarto andar estavam bloqueadas no momento do incidente.

Na última sexta-feira foram detidas a chefe do departamento regional de Supervisão de Obras, Tanzilia Tomkova, e a diretora-geral da companhia proprietária do imóvel, Yulia Bogdanova, o que elevou para sete o número de detidos por suposta responsabilidade no incêndio, entre eles a diretora-geral da sociedade fiduciária que administrava o shopping, Nadezhda Suddenok. EFE

bsi/rpr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos