Jovem troca noite de núpcias por greve de fome pela paz no Afeganistão

Baber Khan Sahel.

Nova Délhi, 2 abr (EFE).- Na convulsa e conservadora província de Helmand, no sul do Afeganistão, um jovem recém-casado não duvidou em trocar a primeira noite em casa com sua mulher para somar-se a uma greve de fome para exigir o final do conflito armado.

No domingo passado, Nisar Ahmadi, de 23 anos, acompanhou sua esposa até seu novo lar e depois se uniu à greve de fome que é realizada por 30 jovens na cidade de Lashkargah desde o último dia 24 de março, um dia depois que 13 pessoas morreram e 15 ficaram feridas em um atentado talibã nessa cidade.

Em um país que vive imerso desde 2001 na violência do conflito armado, o jovem destacou que trocar a noite de núpcias por um protesto foi uma decisão difícil, mas que seu país necessita de mais sacrifícios para conseguir a paz.

"Eu sei, era a noite mais valiosa, histórica e feliz da minha vida, e nunca se repetirá, mas preferi passar com quem defende a paz ao invés de com minha esposa", explicou Ahmadi à Agência Efe.

Levando em conta que na cultura afegã é raro que o recém-casado passe a primeira noite de casamento em algum lugar que não seja com sua nova mulher, o jovem estava consciente de que sua decisão poderia provocar rumores sobre sua relação e inclusive sobre sua virilidade, como efetivamente ocorreu.

"Não me importa as pessoas nem o que digam, fiz o que era necessário para meu país e sua gente, e para este lugar", destacou.

Para afastar dúvidas, Ahmadi ressaltou que é "muito afortunado" porque seu casamento não é arranjado, como ocorre com frequência no Afeganistão, já que o casal se conhecia há tempo e estavam apaixonados.

O protesto começou em 24 de março no meio de um movimento espontâneo de resposta que surgiu em Lashkargah, um dia depois de um atentado talibã matar 13 pessoas.

Um grupo de familiares das vítimas começou a mobilizar-se com apoio de jovens da cidade e a exigir o final da guerra.

Na terça-feira passada, um grupo de meninas se uniu ao protesto e anunciou que enviaria uma caravana para falar com os talibãs, que mantêm uma forte presença na província.

Embora o protesto continue em Lashkargah, a participação de Ahmadi terminou na madrugada da segunda-feira, quando foi enviado outra vez pra casa após rejeitar em um primeiro momento o pedido dos seus amigos e de um religioso, segundo disse à Efe um dos organizadores da manifestação, Sifat Sarwan.

"Ele (Ahmadi) jogou por terra os mitos. Um noivo falta sua noite de núpcias e deixa sua noiva sozinha para defender a paz... Você pode imaginar como estamos sedentos por paz?", questionou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos