Topo

Ministros do novo governo do Peru tomam posse em cerimônia em Lima

02/04/2018 20h00

Lima, 2 abr (EFE).- Os novos ministros do governo do Peru, agora presidido por Martín Vizcarra após a renúncia de Pedro Pablo Kuczynski, tomaram posse nesta segunda-feira.

Em cerimônia realizada no Palácio do Governo, em Lima, Vizcarra apresentou a nova equipe e disse que ela será responsável por o acompanhar na missão de levar desenvolvimento e bem-estar aos peruanos de todas as regiões do país.

César Villanueva tomou posse como novo presidente do Conselho de Ministros. Nestór Popolizio será o novo ministro de Relações Exteriores. O Ministério de Economia e Finanças será comandado por David Tuesta. Na Defesa, o titular será José Modesto Huerta. Mauro Medina assume o Ministério de Interior, Salvador Heresi o de Justiça e Direitos Humanos, e Daniel Alfaro o de Educação.

Também tomaram posse hoje Silva Pessah (Saúde), Eduardo Mostajo (Agricultura e Irrigação), Christian Sánchez (Trabalho e Promoção do Emprego), Daniel Cordova (Produção), Roger Valencia (Comércio Exterior e Turismo), Francisco Ísmodes (Minas e Energia), Edmer Trujillo (Transportes e Comunicações), Javier Piqué (Moradia, Construção e Saneamento), Ana María Mendietta (Mulher e Populações Vulneráveis), Fabiola Muñoz (Ambiente), Patricia Balbuena (Cultura) e Liliana La Rosa (Desenvolvimento e Inclusão Social).

No futuro imediato, a tarefa mais urgente está sob o comando de Popolizio, responsável por organizar a Cúpula das Américas, em Lima, entre os dias 13 e 14 deste mês. O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, já confirmou presença no evento.

Villanueva afirmou que o novo chanceler já estava participando da organização da cúpula e tem o conhecimento e a capacidade necessários para assumir o Ministério de Relações Exteriores.

Parlamentar da Aliança para o Progresso, o novo presidente do Conselho de Ministros explicou que buscou nomes para o governo que tenham experiência técnica nas áreas em que atuarão.

No entanto, pouco antes da posse, um grupo de médicos protestou contra a nomeação de Silvia Pessah para o Ministério da Saúde. Segundo os manifestantes, a nova ministra participou da "pior gestão" já vista na pasta, a do governo de Kuczynski.