Topo

Pedido de extradição e prisão de Puigdemont está nas mãos de 3 juízes alemães

03/04/2018 08h58

Neumünster (Alemanha), 3 abr (EFE).- A primeira turma penal da Audiência Territorial de Schleswig-Holstein, no norte da Alemanha, formada por três juízes, se dispõe a estudar o pedido de extradição do ex-presidente autônomo da Catalunha, Carles Puigdemont, e se há motivos para que ele seja mantido na prisão.

Em comunicado, a Audiência confirmou que recebeu o texto da Promotoria Geral de Schleswig-Holstein, onde Puigdemont foi detido no domingo, 25 de março, em aplicação da ordem de prisão europeia emitida pela Justiça espanhola.

Agora é necessário examinar "se a extradição não parece ab initio inadmissível e se há motivo para a prisão", acrescentou a Audiência Territorial, que adiantou que, neste momento, é cedo demais para antecipar quando a turma tomará uma decisão.

Jens Bahr, porta-voz da Audiência Territorial de Schleswig-Holstein, afirmou em declarações à Agência Efe que a decisão sobre a permanência na prisão de Puigdemont pode ser tomada relativamente em breve, em dois ou três dias.

Não obstante, Bahr não quis dar prazos, sequer orientações, sobre a resolução definitiva do processo de extradição solicitado pela Justiça espanhola.

Em seu texto, a promotoria pediu hoje à Audiência que tramite a extradição à Espanha do ex-presidente da Comunidade Autônoma da Catalunha pelos crimes de rebelião e desvio de recursos públicos, pelos quais está sendo processado na Espanha, e solicitou também que ele permaneça na prisão ao considerar que existe risco de fuga.

O artigo 15º da lei que regula a cooperação internacional em questões jurídicas estabelece que a prisão para a extradição deve considerar se há risco de fuga e de obstrução das investigações.