Topo

Um estado australiano punirá com prisão perpétua casos de pedofilia

03/04/2018 03h05

Sydney (Austrália), 3 abr (EFE).- O Governo do estado de Nova Gales do Sul, na Austrália, anunciou nesta terça-feira que imporá punições mais duras contra a pedofilia, incluindo a prisão perpétua para casos reiterados de abuso sexual de menores.

A reforma do código penal desta jurisdição responde às recomendações do relatório publicado em dezembro do ano passado pela Comissão governamental que averiguou a resposta das instituições australianas aos abusos sexuais.

"Esta reforma é projetada para dar aos sobreviventes a justiça que merecem e impor sanções mais duras aos agressores pelos horríveis abusos contra as crianças", disse a chefe do governo estadual, Gladys Berejiklian.

A proposta, que deverá ser aprovada pelo Parlamento estadual, também contempla como crimes novos o não informar ou proteger os menores dos abusos sexuais, seduzir um adulto para obter acesso a um menor e o toque com intenção sexual de um criança sob cuidados especiais.

Os crimes de pedofilia neste estado eram punidos até agora com uma pena máxima de 25 anos de prisão, mas com a reforma a condenação poderá ser de prisão perpétua quando o abuso de menores for cometido de forma "persistente".

A comissão averiguou durante cinco anos a resposta à pedofilia em organizações públicas e religiosas, incluindo as pertencentes à Igreja Católica, com entrevistas com mais de 8.000 vítimas de abusos cometidos em mais de 4.000 centros desde a década de 20.