Rússia pede nova reunião do Conselho de Segurança sobre caso Skripal

(Atualiza com a confirmação da reunião).

Nações Unidas, 4 abr (EFE).- A Rússia solicitou nesta quarta-feira uma nova reunião do Conselho de Segurança da ONU para tratar do episódio do envenenamento no Reino Unido do ex-espião Sergei Skripal e sua filha Yulia.

A reunião vai acontecer amanhã, ao término de um debate sobre o Burundi que começará às 15h de Nova York (16h de Brasília).

A solicitação foi feita pelo embaixador russo nas Nações Unidas, Vasyl Nebenzia, durante um debate no Conselho de Segurança sobre o uso de armas químicas na Síria.

O Conselho de Segurança da ONU já analisou o caso de Skripal no último dia 14 de março, sem que se aprovasse nenhum tipo de medida.

A Rússia também convocou hoje uma reunião urgente na Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ) para tratar do caso Skripal.

Na reunião, a organização com sede em Haia rejeitou um projeto da Rússia e da China no qual propunha-se que Moscou fizesse parte da investigação sobre a origem do veneno utilizado contra Skripal e sua filha.

O ex-espião, de 66 anos, e a sua filha, de 33, foram envenenados no dia 4 de março em Salisbury, no sul da Inglaterra, ao serem expostos a uma substância química conhecida como "Novichok", que, de acordo com as autoridades do Reino Unido, foi fabricada na Rússia.

A Rússia, que nega qualquer relação com o envenenamento, afirma que está disposta ao diálogo e à cooperação com todos os países nessa questão.

Hoje, a delegação russa na OPAQ voltou a rejeitar as acusações de Londres e exigiu ser parte da investigação realizada por este organismo para esclarecer o ocorrido e conhecer todos os detalhes conseguidos até agora.

A OPAQ respondeu a isto que não divulgará as identidades dos membros da equipe que investiga o envenenamento e também não informará os nomes dos laboratórios que estão realizando a análise técnica das amostras coletadas pelos seus especialistas sobre o terreno, contrariando o pedido de Moscou.

O diretor-geral da OPAQ, Ahmet Üzümcü, disse que espera receber no início da semana que vem os resultados da análise das amostras coletadas em Salisbury e assegurou que até então não se informará aos países-membros da situação das investigações.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos