Sobrinha de Skripal quer viajar a Londres para levar filha de espião à Rússia

Moscou, 4 abr (EFE).- A sobrinha do ex-espião Sergei Skripal afirmou nesta quarta-feira à televisão russa que quer viajar em breve a Londres para levar de volta à Rússia Yulia Skripal, que já recuperou a consciência em um hospital britânico.

"Hoje tenho um objetivo: viajar a Londres e trazer Yulia de volta. No que se refere a Sergei, isso é muito mais difícil", disse Victoria Skripal em entrevista com a televisão pública russa.

A sobrinha do ex-espião que foi envenenado há um mês no Reino Unido com um agente químico disse que Yulia Skripal nunca esteve envolvida na política.

"Ontem me disseram para ficar em Moscou para receber hoje o visto. Estivemos esperando uma chamada em frente à embaixada do Reino Unido, mas não cheguei a receber o passaporte com o visto", comentou.

Por sua vez, Victoria reconheceu que hoje foi interrogada na sede do Comitê de Instrução da Rússia "em qualidade de testemunha no caso de tentativa de assassinato de um cidadão russo", Yulia Skripal.

A sobrinha do ex-espião duvidou que seus familiares tenham sido envenenados com um agente tóxico, já que seus animais de estimação - dois gatos e dois roedores - sobreviveram ao ataque.

"Os primeiros sintomas, quando os encontraram, lembram muito os de uma intoxicação com frutos do mar. Há uma versão que aponta que um policial também foi envenenado. Então por que a menina que os encontrou primeiro não se intoxicou?", perguntou.

A porta-voz de do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, expressou hoje sua confiança em conseguir que Londres expeça em breve o visto a Victoria Skripal para que ela possa oferecer "apoio moral" a seus familiares.

"Consideramos que isso é um desejo absolutamente natural e sincero que será mais necessário agora, já que há notícias da melhora de Yulia Skripal. Acreditamos que se trata de uma situação humanitária", disse.

Zakharova também insistiu que Londres deve permitir acesso consular russo aos Skripal, enquanto a embaixada da Rússia na capital britânica pediu em vão informações sobre o tratamento médico que o ex-espião e sua filha recebem.

Fontes sanitárias informaram na semana passada que Yulia Skripal já não se encontra em estado crítico, enquanto seu pai não mostrou sinais de melhora, embora seu quadro seja estável.

Sergei Skripal, de 66 anos, e sua filha Yulia, de 33, foram envenenados no último dia 4 de março em Salisbury (Inglaterra), após serem expostos a uma substância química de nome "Novichok", que, segundo Londres, foi fabricada na Rússia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos