Moro decreta prisão de Lula e prazo para que se entregue até as 17h de amanhã

São Paulo, 5 abr (EFE).- O juiz federal Sergio Moro decretou nesta quinta-feira a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado em segunda instância a cumprir 12 anos e 1 mês, com início em regime fechado, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro pelo caso do apartamento triplex do Guarujá, no litoral de São Paulo.

No decreto, Moro também autorizou a possibilidade de que Lula se entregue voluntariamente à Polícia Federal em Curitiba, determinando como prazo até as 17h de amanhã.

"Relativamente ao condenado e ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, concedo-lhe, em atenção à dignidade cargo que ocupou, a oportunidade de apresentar-se voluntariamente à Polícia Federal em Curitiba até as 17:00 do dia 06/04/2018, quando deverá ser cumprido o mandado de prisão", disse Moro.

A decisão do juiz foi tomada menos de um dia após o Supremo Tribunal Federal negar um habeas corpus para evitar a prisão de Lula antes de que se esgotem todas as apelações em instâncias superiores.

No ano passado, Moro condenou o ex-presidente a nove anos de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, mas a pena foi ampliada em segunda instância, em janeiro, pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos