Exército israelense investigará mortes de palestinos em protestos em Gaza

Jerusalém, 8 abr (EFE).- O general de brigada Moti Baruj liderará a investigação sobre a resposta militar israelense que acabou com a morte de 25 palestinos nos protestos no dia 30 de março na fronteira entre Israel e a Faixa de Gaza, informou neste domingo a imprensa local.

Em meio a acusações de uso excessivo da força nas manifestações na cerca de separação entre Israel e Gaza nas últimas duas semanas, o exército israelense abrirá uma investigação, como fez em outras ocasiões.

As duas últimas aconteceram após a guerra de Gaza de 2014 e após a morte acidental de um membro espanhol dos "boinas azuis" das Nações Unidas no Líbano em 2015 pelas mãos de um soldado israelense.

Uma vez terminada a investigação, será decidido se uma pesquisa adicional da Polícia Militar será aberta.

No último dia 30 de março, cerca de 30 mil pessoas foram à fronteira com Israel, e neste fim de semana o fizeram outras 20 mil em cinco pontos de Gaza, onde foram levantados acampamentos simbólicos permanentes e realizadas atividades.

Diferentes organizações de direitos humanos condenaram o que consideram um excessivo uso da força por parte de Israel e o secretário-geral da ONU, António Guterres, pediu que seja aberta uma investigação independente.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos