Topo

Lula dormiu "tranquilamente" em sua primeira noite preso em Curitiba

08/04/2018 13h29

Rio de Janeiro, 8 abr (EFE).- O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva dormiu "tranquilamente" em sua primeira noite preso em Curitiba e passou grande parte do tempo acompanhado por um de seus advogados, informou neste domingo o Partido dos Trabalhadores (PT) em comunicado.

"Ele dormiu tranquilamente, continua sereno e tranquilo", segundo a nota divulgada pelo "Comitê Popular" que o PT montou nas imediações da sede da Superintendência da Polícia Federal (PF) em Curitiba, onde Lula foi preso na noite de ontem para começar a cumprir a pena de 12 anos de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro.

De acordo com a nota, o advogado Cristiano Zanin, um dos membros de sua equipe de defesa, o acompanhou durante um longo período na cela antes de ter que deixar o local.

A nota acrescenta que cerca de mil pessoas esperaram por Lula ontem à noite em frente à sede da PF para manifestar apoio no momento em que o ex-presidente decidiu "cumprir uma decisão judicial que o fez passar da condição de vítima de uma perseguição judicial à condição de preso político".

O PT acrescentou que realizará uma vigília permanente nas imediações da PD tanto para exigir sua libertação quanto para defender seu direito a disputar as eleições presidenciais de outubro.

Segundo o partido, para este domingo são esperadas caravanas procedentes de várias cidades próximas a Curitiba e de Santa Catarina.

A sede da PF amanheceu cercada de agentes das forças de segurança que estabeleceram um perímetro de cem metros e que controlam desde a noite de ontem todos os acessos ao edifício.

Depois de quase 48 horas aquartelado no Sindicato dos Metalúrgicos em São Bernardo do Campo e 26 horas após o término do prazo dado pelo juiz federal Sergio Moro, Lula se entregou à polícia na noite de ontem.

Esta é a primeira vez na história do Brasil que um ex-presidente é preso por um crime comum. Antes dele, outros ex-presidentes foram presos, mas por motivos políticos.