Ministro da Defesa israelense diz que "não há inocentes" em Gaza

Jerusalém, 8 abr (EFE).- O ministro da Defesa de Israel, Avigdor Lieberman, declarou neste domingo que em Gaza "não há gente inocente" e que "todo mundo está filiado ao Hamas", após as manifestações da última sexta-feira que deixaram dez palestinos mortos e outros 500 feridos por fogo israelense na Faixa.

"Todo mundo é pago pelo Hamas e todos os ativistas que tentam nos desafiar e atravessar a fronteira são operadores de sua ala militar", disse o ministro, segundo o portal "The Times of Israel".

Lieberman também considerou "hipocrisia" as críticas procedentes do resto do mundo devido às pessoas que perderam a vida por fogo israelense durante os confrontos de sexta-feira perto da cerca fronteiriça.

"Neste fim de semana centenas de pessoas foram assassinadas na Síria, incluindo mulheres e crianças, e ainda não escutei o secretário-geral da ONU, não vimos a convocação do Conselho de Segurança nem da Liga Árabe. Quando Israel se defende, imediatamente vemos a diversão da hipocrisia", criticou o dirigente israelense.

O Ministério das Relações Exteriores francês condenou no sábado a atuação do Exército israelense durante os protestos de sexta-feira na Faixa de Gaza e ressaltou que o uso da força deve ser "proporcional".

As declarações de Lieberman ocorrem em meio à polêmica sobre a atuação do Exército nos protestos palestinos da Grande Marcha do Retorno, que desde o início, em 30 de março, contou com manifestações e incidentes nos quais 32 palestinos morreram e mais de 1.300 ficaram feridos por fogo israelense, segundo cálculos da Palestina.

Lieberman também se referiu ontem à morte de Yasser Murtaja, fotojornalista palestino que morreu na madrugada de sábado por não resistir a um tiro no abdômen sofrido quando cobria os protestos de sexta-feira.

O ministro da Defesa argumentou que o jornalista foi alvo do tiro porque utilizava um drone, segundo informou o jornal israelense "Haaretz".

"Qualquer um que faça voar um drone sobre soldados israelenses tem que entender que está se colocando em risco. Vimos dezenas de incidentes em que homens do Hamas utilizavam ambulâncias e se vestiam como membros do Crescente Vermelho ou jornalistas. Não nos arriscaremos", disse Lieberman.

Ontem, o Exército israelense declarou à Agência Efe que "não atira intencionalmente em jornalistas" e que "estão sendo investigadas as circunstâncias nas quais supostamente comunicadores foram feridos", um total de sete durante a sexta-feira.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos