Topo

Papa repudia uso de "instrumentos de extermínio" contra a população síria

08/04/2018 09h28

Cidade do Vaticano, 8 abr (EFE).- O papa Francisco condenou neste domingo o uso de "instrumentos de extermínio contra a população" na guerra da Síria, após várias ONGs denunciarem que dezenas de pessoas morreram no sábado passado por um ataque químico em Duma, o último reduto rebelde nos arredores de Damasco.

"Nada pode justificar tais instrumentos de extermínio contra a população", disse o pontífice na praça de São Pedro do Vaticano, momentos depois de celebrar uma missa.

Pelo menos 40 pessoas, a maioria mulheres e crianças, morreram devido a um ataque químico em Duma, segundo a ONG Capacetes Brancos, dedicada ao resgate de vítimas em zonas sob o controle da oposição, enquanto o governo sírio negou qualquer responsabilidade.

"Chegam da Síria notícias terríveis com dezenas de vítimas, muitas delas mulheres e crianças. Rezamos por todos os defuntos, famílias e afetados", disse o papa.

O pontífice afirmou "não há uma guerra boa ou uma guerra má e nada, nada pode justificar tais instrumentos de extermínio contra a população".

"Rezemos para que os responsáveis políticos e militares escolham outro caminho, o de negociação, o único que pode levar à paz e não à morte e à destruição", acrescentou, após rezar a Regina Coeli que substitui o Ángelus em tempos de Páscoa.

Segundo Capacetes Brancos, que divulgou fotos de corpos, muitos deles de crianças, centenas de pessoas foram afetadas pelo ataque ocorrido ontem quando "um helicóptero lançou um barril-bomba que continha um agente químico sobre Duma".