Venezuela diz que ex-presidente Lula sofre "inquisição judicial"

Caracas, 8 abr (EFE).- O governo da Venezuela declarou neste domingo que o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva é "vítima de uma inquisição judicial", um dia após o petista ter se apresentado à Polícia Federal para começar a cumprir a pena de 12 anos e um mês de prisão à qual foi condenado por corrupção e lavagem de dinheiro.

O Ministério das Relações Exteriores venezuelano divulgou um comunicado no qual considera Lula "vítima de uma inquisição judicial instrumentalizada através de um golpe de Estado, que desde 2016, com a destituição de Dilma Rousseff, destrói a estabilidade política e social do país irmão".

A Venezuela expressou "absoluta solidariedade com o ex-presidente" e denunciou que prisão de Lula faz parte de uma estratégia" imperialista contra os povos da América Latina e do Caribe ".

"O companheiro Lula é o maior dirigente popular na história política da nação sul-americana", ressalta o comunicado oficial da Venezuela.

Por tal motivo, segundo Caracas, "a direita brasileira e internacional, em transação servil com o imperialismo, pretende impedir que o seu povo valente o eleja novamente como presidente constitucional no próximo processo eleitoral pautado para outubro".

"O povo da Venezuela e os seus movimentos sociais seguirão acompanhando a luta do Brasil pela restituição da democracia", acrescenta o comunicado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos