Mulher de topless protesta perante Bill Cosby antes de julgamento

Washington, 9 abr (EFE).- Uma mulher de topless, que tinha escrito em seu corpo o lema "Os direitos das mulheres importam", saltou nesta segunda-feira um muro e ficou diante do comediante Bill Cosby enquanto este chegava a um tribunal de Norristown (Pensilvânia, EUA) para ser julgado por agressão sexual.

O incidente ocorreu no dia em que está previsto o início do novo julgamento contra Cosby, que já foi julgado em junho de 2017, mas não houve veredicto porque o júri foi incapaz de entrar em um acordo e o processo foi declarado nulo.

A mulher, que não foi identificada, correu para Cosby, mas foi presa e algemada pelos agentes do escritório do xerife, que a separaram do ator enquanto gritava "Os direitos das mulheres importam!", segundo mostraram as televisões locais.

As imagens mostram que a mulher foi contida e algemada no solo, entre arbustos.

A mulher começou seu protesto tirando uma jaqueta preta para, depois, saltar um muro e parar perante Cosby com o punho em riste, enquanto em seu corpo aparecia pintado o lema "os direitos das mulheres importam" e nomes de mulheres que faziam referência àquelas que acusaram de abusos sexuais o ator.

Cosby, ícone da cultura popular dos EUA, foi acusado de abusos sexuais por mais de 60 mulheres, ainda que está sendo julgado só pelo caso da canadense Andrea Constand.

Constand assegura que uma noite no começo de 2004 Cosby, que agora tem 80 anos, a convidou para sua mansão de Cheltenham (Pensilvânia) e deu algumas pastilhas que a enjoaram, a deixaram semiconsciente e sem possibilidade de lutar contra os abusos do ator.

Os dois se conheceram em 2001 enquanto ela treinava a equipe de basquete da Universidade de Temple (a Pensilvânia) e Cosby fazia parte do patronato do centro educativo.

Cosby sustenta que a relação com Constand foi consentida e que usava drogas como chamariz para atrair as mulheres, mas nunca como ferramenta para incapacitá-las.

Está previsto que hoje a defesa e a acusação apresentem perante o juiz Steven T. O'Neill os seus argumentos sobre Cosby.

No entanto, a defesa apresentou na sexta-feira durante a noite uma moção para substituir um dos 12 membros do juri que foram selecionados na semana passada, um pedido que poderia atrasar o começo formal do julgamento, programado para hoje.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos